HOMEM DE VERDADE

Sempre olhei os relacionamentos através da vida dos meus avós quando era pequena e da minha mãe quando fui morar com ela depois dos 12 anos. Casou com meu pai aos 18 anos, separou... casou novamente e viveu 25 maus anos de relacionamento até meu padastro morrer, casou de novo e parecia que vivia bem, se nao surgisse comentário de traiçao uma ou outra vez, sempre negados por ele.
Semana retrasada meu padastro saiu de casa porque dissse que se sentia sufocado, queria mais liberdade e que ele e minha mae estavam bricando muito etc.. Descobriu-se que ele estava apaixonado por uma garota mais jovem (20 anos), minha mae tem 55. Levou as roupas e alugou uma casa com poucos móveis.
Poucos móveis.... pouco conforto...
A garota, pivor da separaçao, nao quis morar com ele nem assumir um relacionamento. Ele ficou só, sem conforto, sem a família, os vizinhos e amigos cairam de críticas em cima dele, pois a senhorita em questao trabalha proximo a nossa casa e é conhecida de todos. a consciencia pesou... começou a ir lá em casa todos os dias de novo...no  domingo pediu minha mae pra voltar, ela impos algumas condiçoes e aceitou-o de volta. Acho que nao era o momento ainda, mas o relacionamento nao é meu, acho que ele deveria sofrer mais na pele para nao cometer besteiras de novo mas cada um vive seu relacionamento como achar melhor.
Olhando para os lados tbm nao vejo pessoas felizes em seus relacionamentos, sofrem, brigam (por quqlquer motivos), separam-se... Eu estou só! Quero alguém que me ame de verdade e me respeite! Mas onde está os homens de verdade?
Os valores mudaram, hj é só um caso aqui outro ali, uma noite para "desafogar", enquanto trabalha -se muito pra ganhar muito donheiro, ter estabilidade e blá blá blá... Ou vive-se um relacionamento enquanto der, quando os problemas surgirem nao é preciso resolver, é só sair fora e começar de novo. Ou vive -se o relacionamento conturbado, mal resolvido e dá- se umas escapulidas uma vez ou outra para sair da rotina, para fugir dos problemas... Ou arruma -se um(a) amante, o que falta em um relacionamento, completasse com o outro.
Eu quero um amor de verdade, com um homem de verde. Por enquanto só acho protótipos, réplicas mal feitas... Existem homens de verdade,  até encontrei alguns mas, já estao casados! Bom pra eles e bom pra elas... eu prefiro aguardar, milagres acontecem e eu acredito.
Meu avô era um homem de verdade! Homem do interior, lavrador, trabalhador e bom marido... 
Ficou viuvo jovem e com 4 filhos, casou pela segunda vez com minha avó que tbm tinha 4 filhos e como na roça nao tinha televisao e dormia-se cedo, tiveram mais 4 filhos. Criou a todos sem distinçao, eu nunca soube antes, só vim descobrir que nem todos eram filhos de sangue do meu avô depois de adulta. Nunca deixou faltar o pao, zeloso, pai de família, conquistou terras, estabilizou -se, casou todos os filhos, amou a todos. Sempre com minha avó ao seu lado, companheira. Dizem que minha avó  tinha ciumes dele, mas nao por ele dar motivos, era honrado e fiel, cristao fervoroso. Eu achava legal isso, acho que era pq vovô era um gato! Italianao, olho azul, cabelos louros.
Aos 70 e poucos anos ele foi fazer uma operaçao no coraçao, era de risco, nao resistiu e morreu. Minha avó morreu uns 2 anos depois... Lá se foi meu espelho de relacionamento.
Tudo era conversado, consentido, nao via brigas, havia uma rotina mas nao monótona, era uma vida feliz, eu sei porque fui criada com eles até meus 12 anos.
Vi os dois lados de um relacionamento: o que dá certo e o que dá errado. 
Descobri que realmente, quando se quer viver algo de verdade, tem que saber vive-lo. Nao se vive um amor se estiver vazio. Tem que ter valores, se nao tiver, tem que busca -los. Tem que haver respeito, cumplicidade, amizade, comunhao, carinho.. 
Tem que pagar um preço! O preço é nao deixar a rotina sufocar o amor, é dialogar para nao brigar, é ser fiel e olhar para a pessoa amada com se nao houvesse outra, como se fosse a primeira vez. Meus avós eram sábios, viviam o mundinho só deles, se conheciam, se entendiam, sabiam agradar o outro quando preciso, havia cumplicidade. 
Já estavam avançados em idade e se a vida sexual nao era mais tao ativa, havia a amizade e o carinho. Eu via a preocupaçao um com o outro no olhar.
Eu quero um amor assim! Pra vida toda!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reciclando caixotes de madeira

Coasters e Mug Rugs

Cantares de Salomao - capitulo 5